Projeto incentiva alunos a criar foguetes e aprender sobre astronomia e aeronáutica em MT


fonte:G1

Um projeto que incentiva os alunos a criar foguetes e aprender sobre astronomia e aeronáutica foi criado pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá, foi o primeiro município a implantar a proposta. O objetivo é trazer para o município e o estado uma olimpíadas de lançamento de foguetes.

Para que o projeto fosse realizado, professores da Uerj fizeram um treinamento com professores da rede municipal de Lucas do Rio Verde. O conhecimento foi repassado aos alunos, que criaram os próprios foguetes.

Depois da produção, foi realizado um campeonato entre os foguetes criados. A primeira etapa da competição reuniu mais de 3 mil alunos, 150 professores e 980 equipes.


Destas, 29 equipes foram classificadas e o resultado foi revelado em um evento no Estádio Municipal Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde.

O estudante Guilherme dos Santos de 13 anos estuda na escola da comunidade São Cristovão. Quando soube do projeto ele quis participar e começou a pesquisar sobre os materiais e os produtos necessários para o foguete alcançar bons voos.

"A gente usou papel alumínio, fita, papelão e papel. Fomos construindo até ficar pronto", disse.

O município foi o primeiro em Mato Grosso a trabalhar com o projeto. O objetivo é produzir foguetes que são projetados e elaborados pelos próprios alunos.

O professor de física da Uerj João Canalli realizou a capacitação dos professores da rede municipal.

"Ficamos quatro dias com os professores e fizemos várias atividades de ensino da astronomia e uma delas foi o de lançamento de foguetes. Então os professores construíram a base do lançamento dos foguetes e outros três tipos de foguetes", disse.

O professor explica que os materiais e a confecção dos produtos depende da série e idade dos alunos. Quanto mais velhos, os produtos são mais sofisticados.

"Construímos um foguete para alunos entre 1 e 3 anos, outro para estudantes do 4° e 5° ano e um mais sofisticado para alunos do 6° ao 9° ano. Se isso não chegasse à sala de aula seria um conhecimento em vão", disse.

O projeto tem sido muito bem recebido pelos alunos e, segundo a secretária de educação de Lucas do Rio Verde Elaine Lovatel, para o próximo ano, os planos são incentivar outros municípios a implantar a proposta.

"Para 2023, nós já estamos planejando que o evento aconteça envolvendo as três redes de ensino: municipal, estadual e particular, além de um evento regional para oferecer a oportunidade para outros municípios trazerem os foguetes e participarem", disse

0 comentário