Projeto de lei dispensa exigência de autenticação e reconhecimento de firma em cartório


Fonte:AL/MT

Com a proposta de desburocratizar o atendimento ao cidadão mato-grossense, o Projeto de Lei nº 782/2021, de autoria do deputado estadual Dr. Gimenez (PV), autoriza o governo a dispensar a exigência de autenticação de documentos e reconhecimento de firma em cartório pelos órgãos da administração pública estadual.

Conforme o parlamentar, há quase três anos a Lei Federal 13.726/2018 transfere ao servidor público o direito de garantir que o documento recebido é fiel ao seu original, dispensando a cópia autenticada por cartórios. Além de aliviar o usuário de deslocamento, a proposição também desonera o pagamento de taxas.

“Ocorre que ainda são exigidos pelos órgãos públicos municipais e estaduais que a população autentique os documentos em cartórios, o que na pandemia, com quase tudo fechado, tornou-se ainda mais difícil e moroso. Desta forma, o nosso projeto é extremamente importante ao validar uma lei que já está em vigor no país”.

O projeto de lei autoriza o poder executivo estadual a dispensar a exigência de autenticação e reconhecimento de firma em cartório das cópias de documentos exigidos por órgãos integrantes da administração pública direta, indireta e suas fundações, sendo que o servidor público efetivo poderá, em confronto com o documento original, autenticar a cópia, declarando que “confere com o original”.

A autenticação poderá ser feita com a carimbagem, constando a data, o nome, a matrícula e o órgão de lotação do servidor. O órgão público que verificar, a qualquer tempo, falsificação de documento ou de assinatura em documento público, dará conhecimento do fato à autoridade competente, para instauração do processo administrativo e criminal.

“Também consta no projeto a divulgação deste serviço, ou seja, as repartições públicas estaduais podem - e devem, ao meu ver - afixar cartazes alertando a população acerca da desnecessidade de autenticações e reconhecimentos de firma em cartórios. Certamente vamos beneficiar muitas pessoas, especialmente aquelas hoje em vulnerabilidade social”, pontua Dr. Gimenez.

0 comentário