Primeira-dama de MT toma 4ª dose contra Covid antes da liberação para o público em geral.


Fonte: G1

A primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, tomou a 4ª dose da vacina contra a Covid-19 nesta quinta-feira (10), na Universidade de Cuiabá (Unic), antes da liberação para o público em geral, e postou vídeo do momento no perfil dela. A Secretaria Estadual de Saúde informou que ela não fez errado, já que faz parte do grupo de imunossuprimidos e que tem prioridade por causa disso.

A Secretaria de Saúde de Cuiabá afirma que ainda não há previsão do início da aplicação da 4ª dose em toda a população e que depende da quantidade de doses recebidas. No entanto, segundo o órgão, a vacinação de imunossuprimidos começou há aproximadamente um mês. Porém, o município não tinha divulgado essa informação ainda.

Virginia postou no perfil dela no Instagram um vídeo com uma mensagem na qual diz que ela levou a filha de 7 anos para tomar a 1ª dose da vacina e que aproveitou para receber a 4ª dose.

"Eu e a minha princesa Maria tomamos a vacina contra Covid. Ela tomou sua primeira dose! Vejam como ela foi corajosa! Nem chorou ou reclamou. Orgulho da mamãe. E eu tomei a 4ª dose pois faço parte do grupo dos imunossuprimidos, por ser transplantada. Quero agradecer aos profissionais da saúde, recebi muito carinho e saí de lá muito feliz!", diz.

Virginia Mendes foi submetida a um transplante de rim, em 2014. O órgão foi doado pelo marido dela, o governador Mauro Mendes (DEM).

Segundo o Ministério da Saúde, são considerados pacientes imunocomprometidos:

  • os portadores de imunodeficiência primária grave;

  • quem está fazendo quimioterapia para câncer;

  • transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras;

  • pessoas vivendo com HIV/AIDS;

  • pacientes em uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;

  • pessoas que usam drogas modificadoras da resposta imune (o Ministério da Saúde divulga uma tabela com essas medicações);

  • pacientes com condições auto inflamatórias e doenças intestinais inflamatórias;

  • pacientes em hemodiálise;

  • pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas


0 comentário