"Meu pai conhece apenas as vogais; desejo de ajudar a ele e outras famílias", relata alfabetizadora


FONTE:SEDUC/MT

Com a meta de erradicar o analfabetismo em Mato Grosso nos próximos cinco anos, o Programa Mais MT Muxirum, da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), terá o envolvimento de mais de três mil alfabetizadores apenas na primeira etapa, que já teve início e segue até janeiro.

O amor pela alfabetização, a dedicação e o desejo de ajudar o próximo são características marcantes destes profissionais. Uma das alfabetizadoras de Jaciara, Lucilene Ferreira Torres, de 43 anos, afirma que, para ela, a oportunidade de trabalhar no projeto possui um significado ainda mais profundo.

“Meu pai conhece apenas as vogais. Eu vejo a dificuldade dele quando quer ler um jornal ou um anúncio do mercado. Eu ficava pensando em como gostaria muito de ajudar, não só o meu pai, mas as outras famílias também, e quando vi o projeto me candidatei”.

Ela afirma que está muito animada e destaca que, além de ensinar, sabe que vai aprender muito com seus alunos. “Vai ser muito bom, eu vou aprender com eles e eles vão aprender comigo, porque, muitas vezes, eles não sabem escrever o nome, mas o conhecimento de vida que eles têm vai além do meu. Só de poder estar lá e ver eles aprendendo, será gratificante”, declara a pedagoga.

O objetivo da Secretaria de Estado de Educação, com o Mais MT Muxirum, é erradicar o analfabetismo, entre pessoas com mais de 15 anos. De acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios Contínua– 2019 Educação (Pnad Contínua), em Mato Grosso são cerca de 200 mil analfabetos.

“A expectativa é atender mais de 48 mil pessoas na primeira etapa do programa e, para alcançar essa meta, os alfabetizadores, que são pessoas da comunidade e se capacitaram para ensinar, são parte essencial. Quero agradecer o esforço destes profissionais, que estão indo a campo, fazendo a busca ativa das pessoas não alfabetizadas, e que vão ajudar a mudar a vida de milhares de cidadãos, levando dignidade a estas famílias”, destaca o secretário de Estado de Educação, Alan Porto.

A pedagoga Maria Neves Rodrigues da Silva é alfabetizadora veterana do programa em Várzea Grande e declara que é apaixonada pelo que faz. “Trabalhei com o projeto entre 2017 e 2018, na época, consegui alfabetizar 10 pessoas, foram 10 pessoas que conseguiram tirar seus dedinhos da identidade. É muito lindo, eu sou muito feliz fazendo isso”.

Ela enfatiza que o Mais MT Muxirum é muito importante para aqueles que nunca tiveram essa oportunidade. “É gratificante poder ajudar alguém a aprender a ler e escrever. Muitos deles falam que têm esse sonho, de conseguir ler uma palavra, uma bula e eu acho que está ao nosso alcance poder realizá-lo” acrescenta Maria.

A formadora cita que para facilitar a aprendizagem de seus alunos ela faz uso de diferentes metodologias, aplicando elementos do cotidiano dos alunos nas atividades.


Elizandra Rampanelli trabalha com alfabetização, mas essa será a primeira vez que vai trabalhar no Mais MT Muxirum.

Há 22 anos, Elizandra Rampanelli trabalha com alfabetização, mas essa será a primeira vez que vai trabalhar no Mais MT Muxirum. A educadora acredita que em Campos de Júlio o projeto vai prosperar e enfatiza que a pandemia é um fator relevante nessa questão.

“No início da pandemia, as crianças levavam as apostilas com as atividades escolares para aprender em casa e, muitas vezes, quem ficava em casa não tinha conhecimento para ajudar. Eu acredito muito que agora essas pessoas vão procurar aprender a partir do projeto”.

Elizandra foi convidada para trabalhar no programa e aceitou na primeira oportunidade. Ela reforça que apesar de já ter trabalhado com crianças, é necessário ter paciência para ensinar, uma vez que grande parte das turmas é formada por pessoas com idade acima dos 50 anos.

“Estou extremamente grato em participar do Mais MT Muxirum. Eu não consigo encontrar palavras suficientes para descrever como é emocionante você ter a oportunidade de alfabetizar essa turma. Esses encontros têm mexido comigo, com a minha personalidade, nada pode pagar a sensação que é poder alfabetizar. A recompensa que terei no final, ao vê-los sabendo ler e escrever, com certeza será imensa”, acrescenta o alfabetizar em Juscimeira, Wellton Siqueira.

Alfabetizador em Jaciara, Leonardo Coimbra da Fonseca, de 21 anos, afirma que desde pequeno sonha em ser professor e, por meio do programa, vai realizá-lo. “É uma honra participar”, afirma o jovem que é graduando de História.

O Projeto Mais MT Muxirum é desenvolvido por meio do regime de colaboração entre o Governo do Estado e município. Neste ano, foram selecionados 60 municípios. As turmas são formadas por no máximo 15 alunos, respeitando as regras de biossegurança contra a Covid-19.



0 visualização0 comentário