Lançamento do vídeo-documentário e livro que retratam a vida João Carlo Vicente De Ferreira


Por Allana Alfonso

JOÃO CARLOS VICENTE FERREIRA

UM SER CULTURAL

Da redação.

Em 23 de dezembro de 2021 estará sendo lançado um vídeo-documentário e livro que retratam a vida cultural do escritor João Carlos Vicente Ferreira. Esse projeto foi aprovado no Edital Conexão Mestres da Cultura, da Lei Aldir Blanc, através da Secretaria de Estado de Cultura, tendo sido apresentado pela gestora cultural Cristina Ferreira.

O objetivo foi homenagear João Carlos que tem uma trajetória de vida dedicada á cultura brasileira, com foco maior em Mato Grosso, onde pesquisou, editou e escreveu livros, revistas e vídeos. É membro do Instituto Histórico e da Academia Mato-Grossense de Letras e de inúmeras outras instituições culturais, em Mato Grosso e país afora.

Quem é esse homem e como suas ideias culturais foram colocadas em prática? É disso que trata o livro e o vídeo-documentário, ambos recheados de informações e depoimentos de pessoas que acompanharam sua trajetória cultural de perto. O livro é escrito por Maria Rita Ferreira Uemura, o documentário é produzido e dirigido por Welcome Luíz da Silva e o designe gráfico do livro é de Roseli Mendes Carnaíba.

A autora do livro, Maria Rita diz na introdução da obra que “João Carlos sempre foi muito curioso e devorou os livros, gibis, jornais, revistas e fotonovelas que teve ao alcance na infância. Queria entender como era possível escrever e publicar. Esta nobre arte lhe parecia tão distante e ao mesmo tempo exercia um fascínio sobre ele.Admirava a criatividade dos que produziam os textos. Mas a alma de artista muitas vezes não se encanta por apenas uma expressão cultural, e João Carlos também desenvolveu uma grande paixão pela música na adolescência. Tanto que os primeiros textos autorais nãoforam impressos em livros, mas cantados em festivais de música, dos quais participava de maneira despretensiosa”.

“Desde o primeiro momento em que ele pisa em terras de Mato Grosso, em fins da década de 1960, se deu conta de que é um ‘ser cultural’. Foi daqueles que, ainda menino, peneirava dizeres e saberes e os guardava em sua mente, processava-os e os colocava em caixinhas separadas, para serem retirados e usados na hora certa, no momento adequado. Ouvinte atento, se interessava por histórias e as impressões que as pessoas tinham sobre a vida e os seus acontecimentos.

Com o tempo a sua trajetória de vida demonstrou que as tomadas de decisões e os olhares para as coisas que o mundo lhe apresentava, sempre enveredavam, de uma forma, ou de outra, para o mundo da arte. Mas, viver de arte e cultura, no Brasil, não é nada fácil. Aliás, em nenhum lugar do mundo o é, em alguns, pouco menos até, e ele vive disso, há muito tempo.

O prêmio de Mestre da Cultura, distinguido pela Lei Aldir Blanc, com referendo do Conselho de Cultura de Mato Grosso, em sua concepção, se encaixa perfeitamente no perfil de João Carlos Vicente Ferreira, certamente pelo reconhecimento público de sua contribuição à cultura de Mato Grosso. Ao longo dos anos no estado ele têm atuado como jornalista, pesquisador, escritor, músico, editor eagora dramaturgo.

Uma frase corriqueira dele era a indagação: “o que será de mim daqui há 50 anos? ” Talvez refletir sobre a brevidade da vida o tenha feito querer viver tudo ao mesmo tempo. E ele realizou muita coisa. Há pouco tempo confessou se sentir um homem privilegiado por ter feito muito do que sonhara e até mesmo o que nem imaginava fazer, pois mesmo na vida pública ele deixou sua marca”.

SERVIÇO

QUANDO: 23 de dezembro de 2021

ONDE: Cine Teatro Cuiabá

HORÁRIO: 19h30

Obs: Indispensável a apresentação de comprovante de vacinação da Covid-19



0 comentário