Historiadora lança livro sobre origem de famílias pioneiras de Cuiabá


Fonte: G1

A historiadora e membro da Academia Mato-grossense de Letras, Neila Maria Souza Barreto, catalogou as famílias cuiabanas pioneiras e os registros foram transformados no livro "Gente que fez, gente que faz Cuiabá: inventário de família pioneiras cuiabanas". A publicação será lançada nesta segunda-feira (20), às 18h, na Casa Barão, no Centro da Capital;

O livro foi publicado pela Entrelinhas Editoras e recebeu apoio institucional da Prefeitura de Cuiabá. Neila realiza o trabalho de pesquisa sobre os cuiabanos pioneiros desde agosto de 2017. Em abril de 2019, ela apresentou os primeiros resultados durante as comemorações dos 300 anos da Capital. Um dos destaques da publicação é a praticidade na identificação das famílias cuiabanas por meio de um índice que permite localizar os troncos familiares ao longo dos séculos 18 e 21. A edição tem 352 páginas e apresenta mais de 900 troncos familiares, sendo 49 entre bandeirantes e pioneiros nas Minas do Cuyabá e na fundação do arraial de Cuiabá; 93 troncos no Período Colonial (de 1700 a 1822); 191 troncos no Período Imperial (1822-1889) e 663 troncos familiares no Período Republicano (de 1889 aos dias atuais). Para a capa do livro, a autora escolheu uma foto de Hid Alfredo Scaff com a família. Pais do poeta e escritor Ivens Cuiabano Scaff, legítimo representante da chamada cuiabania, Hid foi uma importante personalidade dos tempos do comércio por via fluvial através dos rios Paraguai e Cuiabá.

Ele também empresta o seu nome para o Museu do Rio, no Porto da Capital. A autora Neila Barreto contou que usou centenas de fontes bibliográficas e recebeu contribuições das famílias cuiabanas para levantar as informações.

“Mesmo com sua publicação em 2019, nos 300 anos de Cuiabá, trata-se de uma primeira versão que espero ampliar e aprimorar nos próximos anos. No livro, as informações estão apresentadas por tronco familiar base, com o nome do pioneiro que chegou a Cuiabá, a anotação preferencial do ano de chegada da família tronco na cidade e a fonte da informação”, acrescenta.

Sobre a autora

Neila Maria Souza Barreto é mestre em História pela UFMT (2005). Graduada em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT (1978) e bacharel em Jornalismo pelo Instituto Várzea-grandense de Educação, IVE (1995). Especializou-se em Ciências Políticas pela Faculdades Unidas de Várzea Grande, Univag (1998), Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade de Educação de Fátima do Sul, MS (1992) e Didática do Ensino Superior pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Presidente Venceslau, SP (1992). Foi professora do Estado de Mato Grosso e do Instituto Várzea-grandense de Educação. Tem experiência nas áreas do magistério e pesquisas, com ênfase em História, Memória, Genealogia e Biografias, atuando principalmente nos seguintes temas: água, história das instituições, de vidas, de cidades. Foi jornalista da Sanemat e Sanecap – Cia. de Água de Mato Grosso e de Cuiabá.

É escritora e documentarista. Professora pesquisadora do curso de Administração, à Distância, da UFMT. Orientadora do curso de pós-graduação em Administração Pública da UFMT, polo de Sorriso. Professora do curso de Turismo e Habilidades do Projovem, pela Fundetec-MT. Autora da pesquisa sobre os 40 anos do Senai-MT. Atualmente é presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, IHGMT, e membro da Academia Mato-grossense de Letras.

0 comentário