Governadora de MT em exercício, desembargadora descarta entrar na política


Fonte: Folhamax

A governadora em exercício, desembargadora Maria Helena Póvoas, descartou a possibilidade disputar qualquer cargo político. A magistrada assumiu o Governo do Estado na última sexta-feira (29), após o vice-governador, Otaviano Pivetta (sem partido) se licenciar do cargo. Maria Helena segue comandando o Executivo estadual até terça-feira (2) e depois retoma suas funções como presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. “Não, podem guardar a fita gravada que, encerrada a minha carreira no Judiciário, retorno pra minha casa e vou cuidar dos meus netos”, disse a governadora em exercício.

Maria Helena é a segunda mulher a assumir o comando do Palácio Paiaguás. A primeira a ocupar o cargo foi Iraci França, vice-governadora no mandato do ex-governador Blairo Maggi. “As mulheres têm mostrado e demonstrado a sua aptidão para política e eu acredito muito que a partir do momento que elas continuarem a demonstrar que a sua presença no campo político só traz benefícios. Tenho a absoluta convicção e que esses campos irão se alargar e a mulher terá um espaço considerável, porque ela é uma peça imprescindível no jogo político”, pontuou.

Ela garantiu que sua passagem pelo Paiaguás será "tranquila", sem grandes feitos ou mudanças. “Confesso aos senhores que rapidamente já estamos pensando em algumas coisas. Mas, é claro que não farei absolutamente nada que possa alterar estruturalmente porque não sou eu a legítima detentora do mandato e eu respeito isso. Estaremos cumprindo o papel constitucional de estar nesse momento atendendo essa vaga que é muita glória para qualquer um chegar até aqui, embora seja bastante espinhosa para quem a detém durante todo o mandato”, acrescentou a desembargadora.

A magistrada ficará na chefia do Governo até terça-feira (2). Após, Pivetta retoma o cargo, onde permanece até o dia 9 de novembro, ocasião na qual o governador Mauro Mendes volta da viagem à Escócia, onde participa da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021, a COP 26.

0 comentário