Ex-deputado assume o PROS e lança Flávio Vargas ao Senado: “seremos a voz da Baixada Cuiabana


fonte o documento

O ex-deputado estadual, Jajah Neves, assumiu nesta terça-feira (22), a presidência da Comissão Provisória do PROS, em Mato Grosso. Ele foi nomeado pelo presidente nacional da sigla, Marcus Vinícius, e recebeu carta branca para viabilizar o empresário e ex-candidato a prefeito de Várzea Grande, Flávio Vargas, o Frical, como opção competitiva ao Senado.

“Estamos assumindo essa empreitada (disputa ao Senado), juntamente com o Jajah (presidente do PROS). Lógico, como tenho frigorífico, sou do agronegócio há muito tempo, mas vou representar o trabalhador como senador, genuinamente, da Baixada Cuiabana”, antecipou Flávio em primeira mão ao portal ODOCUMENTO.

Na mesma toada, o ex-deputado estadual, com base em Várzea Grande, destacou o sentimento das pessoas em votar em um candidato ao Congresso Nacional que tenha ligações com os 13 municípios confinantes com o Vale do Rio Cuiabá.

“Temos um estado rico, mas com o seu povo pobre. Não plantamos soja, mas somos semeadores de empregos, renda e calor humano. A candidatura do Flávio representará o sentimento das pessoas daqui, da nossa amada Baixada Cuiabana”, asseverou Jajah.

Para entrar no páreo com chances de vencer a disputa e furar a polarização entre o atual senador, Wellington Fagundes (PL), e o deputado federal, Neri Geller (PP), Flávio Vargas terá considerável aporte financeiro da direção nacional do PROS, uma vez que o partido dispõe de R$ 116 milhões do Fundo Partidário.

“Vamos entrar na parada para vencer a eleição. Os dois nomes que aí estão colocados (Wellington e Neri), não empolgam o eleitor. Com recursos do Fundão, teremos marketing profissional, e gasolina azul para voar os quatro cantos de Mato Grosso”, adiantou Jajah.

Flávio disputou a prefeitura de Várzea Grande, em 2020, contra o atual gestor, Kalil Baracat (MDB). Na época, apesar da pouca estrutura de campanha, Vargas obteve 40% dos votos válidos e por muito pouco não derrotou o atual alcaide várzea-grandense. A diferença entre eles, foi pouco menos de seis mil votos.

O ex-deputado disse ainda que a partir de agora, ele e Frical, vão conversar com a ex-candidata a prefeita de Cuiabá, Gisela Simona (PROS), para assegurar a ela condições eleitorais e financeiras para vencer a disputa por uma vaga à Câmara Federal. “A Gisela é fundamental nesta caminhada. A nossa prioridade é convencê-la a seguir conosco e nos ajudar a vencer a eleição majoritária no dia 2 de outubro”, explicou.

Palanques

Uma das exigências da direção nacional do PROS, afiançada por Jajah e Flávio, é que a legenda monte no estado palanque alinhado com o presidente, Jair Bolsonaro (PL). Quanto a disputa ao Governo, caberá ao diretório regional encaminhar as discussões. “Essa questão ainda será alinhada. Por ora, estamos abertos a dialogar sobre a disputa ao Palácio Paiaguas com todos”, finalizou Jajah.

0 comentário