Em Mato Grosso, criança de 3 anos morre em UTI após ser espancada por padrasto


Fonte: leialucas

JUÍNA – Morreu, no início da tarde desta sexta-feira (17), em Cuiabá, o menino Miguel, de apenas 3 anos. Ele foi encaminhado à capital mato-grossense em regime de emergência após serem contatados sinais de espancamento feitos, de acordo com a Polícia de Brasnorte (492km a noroeste de Lucas do Rio Verde), pelo padrasto da criança.

O menino deu entrada no hospital municipal de Brasnorte apresentando diversos hematomas nos braços, nas pernas e na cabeça que, de acordo com a primeira versão do acusado, eram decorrentes da agitação da criança no berço onde dormia. No entanto, ao ser examinado pela médica pediatra Janaína Barbosa, foi constatado que os sinais foram causados por espancamento. TENTATIVA DE SOCORRO - O menino então foi rapidamente entubado e sua remoção para Cuiabá foi solicitada, mas apesar de todos os esforços feitos pelos profissionais que atenderam a criança, o pequeno Miguel não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo às 14h.

O padrasto foi levado à Delegacia de Polícia de Brasnorte sob a acusação de homicídio. Testemunhas ouvidas até o momento afirmaram aos investigadores e policiais militares que o homem ainda era violento com outras duas crianças, uma menina de pouco mais de um ano de idade.

ABSURDO – De acordo com pesquisa realizada por um grupo formado por profissionais da Sociedade Brasileira de Pediatria, do Ministério da Saúde, do Ministério da Mulher e Direitos Humanos, publicados no SINAN – Sistema Nacional de Agravos e Notificações – do Governo Federal, o Brasil registra, por ano, mais de 85 mil casos de violência contra crianças. Em 69,5% dos casos, as agressões são físicas e outros 3,3% das notificações envolvem relatos de tortura. O mesmo relatório ainda informa que, do total de casos relatados, cerca de 3,88% (3,2 mil) acabam com a morte da vítima.

0 comentário