Documentário sobre as raízes do rock em Cuiabá é exibido com entrada gratuita


fonte:G1

A história do rock cuiabano será exibida através do documentário 'Ser Underground', que será lançado neste sábado (11), em uma cervejaria, em Cuiabá, a partir das 18h30. A entrada é gratuita.

O diretor do documentário, Joe Fagundes, explica que além de apresentar o surgimento do rock em Cuiabá, com depoimentos e imagens raras, o longa também homenageia a todos os músicos e entusiastas, que há tempos exaltam o rock na capital.

Além disso, o diretor disse que as filmagens são um manifesto visual, que lançam luz sobre a resistência da cultura 'underground' cuiabana ao longo de três décadas.


Joe Fagundes, que fez parte de diversas bandas no cenário roqueiro em Cuiabá e vivenciou o que é narrado nas gravações, diz ainda que a história do rock na capital mato-grossense é marcada por muitas bandas e músicos, lugares importantes e diversas sonoridades, que oscilam do clássico rock’n’roll ao extremo death metal.

Segundo ele, apesar de algumas diferenças no estilo do rock, há algo em comum e que é justamente o ponto que pretende ser mostrado ao público cuiabano: a associação à cultura underground, com um modo particular de ser e estar no mundo marcado pela autonomia criativa.

Joe também dirigiu, em 2019, o documentário “Entre mortos e feridos, salvaram-se quase todos – G.T.W. 30 anos depois”.

O jornalista Iuri Barbosa Gomes, diretor ao lado de Joe, também fez parte de bandas e acompanhou a cena roqueira cuiabana a partir dos anos 2000, através da fotografia.

Além de coberturas e entrevistas enquanto atuou como repórter em Cuiabá, Iuri defendeu, em 2018, uma tese pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de Mato Grosso (Ecco-UFMT), que agora se tornou a base do roteiro do documentário.

A equipe de produção é composta também por Yuri Kopcak, responsável pelo som direto; Jomar Brittes, responsável pela identidade visual do filme; e Protásio de Morais, diretor de fotografia. O fotógrafo tangaraense Willian Garcia completa a equipe.


“Ser Underground: A história do rock cuiabano” tem 74 minutos de duração e reúne mais de 50 entrevistados, entre músicos, produtores culturais e jornalistas, para narrar o percurso do rock pela Grande Cuiabá.

0 comentário