Cidinho diz que Bolsonaro vem a MT neste mês e nega relação azeda com Mauro


FONTE:CONEXAOPODER

O ex-senador Cidinho Santos (PSL) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve vir a Mato Grosso ainda neste mês de agosto, cumprir agenda no nortão do Estado com o governador Mauro Mendes (DEM).

De acordo com Cidinho, que preside o PSL em Mato Grosso desde o mês de junho, a expectativa é que a visita ocorra no dia 19. A agenda, além de eventos do agronegócio, também deve envolver visita a uma comunidade indígena e uma motociata com apoiadores.

Considerando a agenda planejada para o encontro, Cidinho avaliou que não acredita que a relação entre o governador e o presidente tenha ficado estremecida. A especulação se dá em razão de um áudio divulgado pela imprensa na semana passada, na qual, em conversa com o deputado federal Neri Geller (Progressistas), Mauro criticava a postura de alguns bolsonaristas extremistas.

"Foi uma conversa informal. O governador, no áudio, também não falou nada demais, então acredito que na relação não atrapalha nada. Tanto que o presidente Bolsonaro está vindo aqui no Mato Grosso nos próximos dias, e vai participar de vários eventos com o governador. Então acredito que isso não atrapalhou", disse Cidinho na manhã desta segunda-feira (2), em visita ao Palácio Paiaguás.

No áudio vazado, o governador conversava sobre os “fãs” do presidente Jair Bolsonaro com Neri e o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco (DEM). Mauro reclamava que 30% dos bolsonaristas têm atitudes extremistas, que “estragam” a torcida. Para Neri, porém, seriam cerca de 10%. O contexto da conversa não foi divulgado.

Entretanto, há semanas o governador Mauro Mendes tenta se aproximar do governo federal. Isso porque, há cerca de dois meses, o deputado federal José Medeiros (Podemos), que já é o candidato declarado de Bolsonaro para a eleição de 2022 na vaga de senador, afirmou que o presidente estaria à procura de um candidato para concorrer contra a reeleição de Mauro.

A intenção de um candidato opositor consideraria a alegação de que Mauro fez oposição a Bolsonaro ao assinar diversas cartas do Fórum Nacional dos Governadores durante a pandemia, bem como críticas à gestão federal durante entrevistas. O governador e seus aliados, porém, não apenas negam a oposição como afirmam que Mauro sempre defendeu o governo Bolsonaro.

0 comentário