Casos de mulheres que sofrem importunação sexual aumentam 36% em um ano em MT


Fonte : G1

Os casos de importunação sexual contra as mulheres aumentaram 36% em Mato Grosso em um ano. Os dados são do Portal Cemulher e da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), que contabilizam o número de ocorrências envolvendo as mulheres.

De janeiro a setembro do ano passado foram 148 casos registrados de importunação, contra 201 no mesmo período deste ano. Na capital, esse aumento foi de 72%, no mesmo período. Os casos de homicídio doloso contra a mulher e divulgação de fotos íntimas também também foram os que mais cresceram no estado, tendo aumento de 31% e 38%, respectivamente. O estudo ainda traz o registro de outros tipos de ocorrências como ameaças, lesão corporal, injúria, difamação, violação de domicílio, estupro, homicídio doloso, feminicídio e maus tratos.

Em Cuiabá, 2.769 mulheres já foram ameaçadas neste ano e é o maior tipo de ocorrência registrado na capital, envolvendo vítimas mulheres. Em 2020, foram 2.658 ameaças, ou seja, houve um aumento de 4% nesse ano.

Em Mato Grosso esse também é o maior tipo de ocorrência registrado. Mais de 13.500 mulheres foram ameaças só nesse ano, enquanto que no ano passado foram 13.426 ameaças.

Além disso, na capital houve um aumento de 20% em casos de estupro. No ano passado foram registrados 60 ocorrências e nesse ano, 72. No estado esse número teve queda de 341 no ano passado, para 328 registros nesse ano.

Já as ocorrências de lesão corporal tiveram uma diminuição de 12% em relação ao ano passado. Em 2021 foram 1.087 registros e no ano passado, 1.233. No estado, esse número também teve queda com 6.844 casos neste ano, enquanto que no ano passado, 7.056 registros. Medidas protetivas

Em Mato Grosso, houve uma que no número de medidas protetivas de emergência concedidas. De acordo com o levantamento da SESP, 2019 foi o ano com maior número de casos e esse ano, o menor. O dado ainda traz o registro de medidas protetivas por mês. Neste ano, março teve o maio número de casos, com cerca de 880 medidas protetivas, seguido pelo mês seguinte, abril, com 813 casos.

Neste ano o menor registro até o momento, foi em agosto, com 542 casos, seguido por setembro, com 630 registros.

De acordo com a Sesp, os municípios de Lucas do Rio Verde, Sinop e Rondonópolis tiveram os maiores casos de feminicídio neste ano. Foram três registros em cada cidade e estão no topo do ranking dos municípios.

Em seguida, vem os municípios de Sorriso, Colíder, Brasnorte e Ribeirão Cascalheira com dois casos de feminicídio por cidade.

Outros 19 municípios de Mato Grosso tiveram um caso registrado, incluindo a capital e Várzea Grande.

No total, nesse ano foram 36 casos de feminicídio em Mato Grosso, enquanto que no ano passado foram 45.

0 comentário