Bruno Schmidt e Evandro perdem para letões e dão adeus às Olimpíadas


FONTE:GEGLOBO

Mesmo sob nuvens, a impressão era de um sol para cada um no Parque Shiokaze durante a maior parte do jogo. Sob uma sensação térmica de 40°, a chuva até caiu no fim, mas não a tempo de aliviar para Bruno Schmidt e Evandro. Os dois tentaram, mas caíram para Plavins e Tocs, da Letônia, nas oitavas de final do vôlei de praia. Em 2 sets a 0, parciais 21/19 e 21/18, a dupla brasileira se despede das Olimpíadas de Tóquio.

- Triste. Queria estender esse torneio o máximo possível, mas estou feliz também por estar aqui, porque há quatro meses eu nem sabia se poderia disputar as Olimpíadas. A gente errou muito no primeiro set e isso fez crescer o jogo deles, principalmente defensivamente. Faltou um pouco de vibração, mas o meu balanço pessoal é que eu fiz o meu máximo nessa Olimpíada - disse Bruno Schmidt.

Os letões contaram com uma atuação soberba de Plavins para chegarem à vitória. Bruno Schmidt, campeão nas Olimpíadas do Rio, em 2016, tentava sua segunda medalha olímpica depois de ficar internado em decorrência da Covid-19. Evandro, por sua vez, buscava seu primeiro pódio nos Jogos em sua segunda participação.


Foi um início equilibrado. Plavins e Tocs largaram na frente. Em um ataque de Bruno Schmidt para fora, os letões abriram 8/6 no placar. Aos poucos, porém, a dupla brasileira reagiu. Em uma pancada de Evandro, chegaram ao empate em 12/12. A virada veio logo depois, em um bloqueio do gigante brasileiro. Os rivais pediram tempo pela primeira vez e tentaram reagir.

Conseguiram. Os letões voltaram à frente e abriram 15/13. Os brasileiros até chegaram a buscar o empate, mas viram os rivais dispararem no fim. Bruno e Evandro, mais uma vez, tiraram a diferença, mas não evitaram a queda. Em uma disputa junto à rede, o árbitro não viu desvio no bloqueio letão no ataque de Evandro e deu o ponto final em 21/19.

Na volta à quadra, os brasileiros tentaram manter o mesmo ritmo da reta final da parcial. Os letões, porém, seguiram firmes. Em um ataque de Plavins, abriram 8/5 na contagem. Ainda que os rivais jogassem bem, a dupla brasileira ia ao limite para se manter viva. Chegou a diminuir a diferença pra um ponto, mas viram Plavins e Tocs chegarem a 12/9 na parada técnica.

Bruno e Evandro tentaram a reação, mas não tiveram forças.

0 comentário